quarta-feira, 24 de abril de 2019

Papa Francisco telefonou para homem com paralisia cerebral

Na última segunda-feira de Páscoa, o Papa Francisco telefonou para um morador de Montilla, na província de Córdoba (Espanha), que sofre de paralisia cerebral.
Em 6 de abril, o Cardeal Beniamino Stella, Prefeito da Congregação para o Clero, visitou a Diocese de Córdoba por ocasião da abertura do Ano Jubilar de São João de Ávila. Durante esta visita, um homem de 47 anos lhe entregou uma carta que havia escrito para o Papa e lhe pediu que a entregasse ao Pontífice.
Segundo informa a Diocese de Córdoba, a carta explicava seu desejo de encontrar o Santo Padre, também como vive sua vida cristã, apesar de ter paralisia cerebral, e "como suas limitações não o impedem de ser conhecido em sua região como um homem entusiasta e comprometido com a Igreja Católica”.
Em resposta a esta carta, o Papa Francisco telefonou para ele na última segunda-feira de Páscoa, às 16h45. A ligação foi atendida pela mãe. Durante a conversa, o Pontífice lhe assegurou as suas orações e pediu também que rezasse por ele e pelo seu pontificado.
Embora o rapaz não possa falar por causa da paralisia cerebral, celebrou com gestos o telefonema e seus familiares asseguram que espera o momento de “poder ser abraçado pelo Papa”.


terça-feira, 2 de abril de 2019

Instituto Mauricio de Sousa lança tirinha inédita e vídeos para comemorar o Dia Mundial do Autismo

O objetivo é mostrar alguns sinais do Transtorno do Espectro do Autismo em crianças e chamar a atenção para a importância do diagnóstico precoce.

O Instituto Mauricio de Sousa (IMS) publicou hoje, 2 de abril, Dia Mundial da Conscientização do Autismo, uma tirinha inédita com a participação da Turma da Mônica e o personagem autista André, criado especialmente para falar sobre o assunto. 
Dentro das ações relacionadas à data, o Instituto Mauricio de Sousa também lançará seis animações curtas (30 segundos cada) sobre o Transtorno do Espectro do Autismo.  Os filmes poderão ser vistos tanto nos canais oficiais do Instituto quanto no YouTube da Mauricio de Sousa Produções. O objetivo é mostrar alguns sinais do autismo em crianças e a importância de procurar orientação profissional o quanto antes para fazer o diagnóstico e iniciar o tratamento, pois quanto mais precocemente se iniciarem as intervenções, melhores as perspectivas de qualidade de vida para a pessoa.
O autismo ou Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) é caracterizado por alterações no desenvolvimento, causa déficit na comunicação, interação social e comportamento de crianças e adultos, e deve ser tratado por uma equipe multiprofissional de acordo com a necessidade específica de cada indivíduo, lembrando que há um grande espectro do autismo, ou seja, uma grande faixa de variação desses sinais. Entre alguns dos sintomas estão a falta de contato visual; o hábito de repetir frases ou palavras que ouviram de outras pessoas ou mesmo da TV (conhecida como ecolalia), interesse profundo restrito a um ou alguns assuntos específicos (hiperfoco), com os quais os autistas permanecem entretidos durante muito tempo. Em alguns casos, os autistas podem não falar, sendo não verbais.
“Quando criamos o personagem André, que é uma criança dentro do Transtorno do Espectro do Autismo, ouvimos vários especialistas no assunto, além de conhecer crianças dentro do espectro. O TEA não é fácil de ser identificado e por isso o tratamento pode vir tarde. Por isso, é preciso passar para os pais, professores e pessoas próximas a essas criancinhas a informação sobre os cuidados e busca de orientação para ajudá-las a desenvolverem todo seu potencial”, diz Mauricio de Sousa, pai da Turma da Mônica e presidente do Instituto Mauricio de Sousa.

Personagem André
Em 2001, o Instituto Mauricio de Sousa foi convidado por uma representante da Universidade de Harvard para desenvolver um projeto com o objetivo de alertar a população sobre os sintomas do Transtorno do Espectro do Autismo. Após meses de estudos nasceu André, um personagem autista para fazer parte da Turma da Mônica.
Com base nesse personagem, o Instituto Mauricio de Sousa criou a revista em quadrinhos “Um Amiguinho Diferente” e seis vinhetas de desenho animado, que alertam pais, familiares e professores para a importância do diagnóstico precoce e esclarecem o comportamento que deve ser adotado com a criança dentro do espectro do autismo. Já foram distribuídos 60 mil exemplares da publicação. As seis vinhetas informativas com o André acabam de ser atualizadas e serão divulgadas no canal do YouTube da MSP (Mauricio de Sousa Produções).
Recentemente, o Instituto Mauricio de Sousa firmou parceria conosco da Revista Autismo, publicação trimestral de distribuição gratuita, publicando um cartum com o personagem André para esclarecer sobre aspectos do transtorno. A revista pode ser solicitada pelos correios (pagando-se somente o frete), por meio do site www.RevistaAutismo.com.br.

Todas as crianças e adultos devem ser entendidas e acolhidas em sua diversidade. A inclusão das crianças dentro do espectro do autismo na escola, por exemplo, é um direito, e é positiva tanto para quem faz parte do transtorno quanto para as outras crianças, pois todas podem interagir e aprender com as diferenças. A mensagem de respeito às diferenças faz parte de todos os conteúdos com a Turma da Mônica.












sexta-feira, 22 de março de 2019

Papa Francisco recorda Dia Internacional da Síndrome de Down

Neste 21 de março, Dia Internacional da Síndrome de Down, o Papa Francisco recordou essas pessoas em uma publicação em sua conta no Twitter e expressou seu desejo de que "desde o ventre materno, sejam acolhidas, apreciadas e jamais descartadas".
Em 2011, a Assembleia Geral das Nações Unidas decidiu que o Dia Mundial da Síndrome de Down seja comemorado no dia 21 de março para gerar uma maior conscientização pública a favor das pessoas que têm a alteração que triplica o cromossomo número 21.
Além disso, a comemoração é para recordar "a dignidade inerente, o valor e as contribuições valiosas de pessoas com deficiência intelectual como promotores do bem-estar e da diversidade de suas comunidades".
O dia 21 de março foi escolhido como data para o Dia Internacional da Síndrome de Down, pois esta alteração triplica o cromossomo número 21.
A ONU indicou que a celebração de 2019 está centrada no tema: "Ninguém fica pra trás", pois todas as pessoas com síndrome de Down "devem ter a oportunidade de desfrutar de uma vida plena".
No entanto, a realidade é outra já que, em alguns países, se houver a detecção ou suspeita durante a gestação de que o feto tem Síndrome de Down, isso é um motivo suficiente para que a mãe tenha o direito a abortar, pois está dentro da condição considerada como “malformação fetal”.
Prova disso é que 100% das crianças diagnosticadas com esta síndrome na Islândia são abortadas. O mesmo acontece com 90% dos diagnosticados na Espanha e cerca de 80% nos Estados Unidos.
Esta síndrome foi descoberta pelo pesquisador John Langdon Down no ano de 1866, embora não soubesse as causas que a provocavam. Em 1958, o pesquisador Jérôme Lejeune identificou que era uma alteração cromossômica. Suas principais consequências são as deficiências cognitivas, embora tenha sido demonstrado que com a estimulação precoce esta pode ser significativamente reduzida.
Lejeune foi nomeado para o Prêmio Nobel, mas sua candidatura não foi adiante por causa de sua posição a favor da vida e contra o aborto de crianças com essa alteração genética. Este cientista francês foi nomeado pelo Papa João Paulo II membro da Pontifícia Academia para a Vida do Vaticano.
Jérôme Lejeune faleceu em 1994 e atualmente está em processo de beatificação.
A Fundação Jérôme Lejeune é dedicada à pesquisa, formação, cuidado e conscientização sobre a síndrome de Down e publicou um vídeo por ocasião deste Dia Internacional no qual afirma que "um diagnóstico não pode ser uma sentença de morte".

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/papa-francisco-recorda-dia-internacional-da-sindrome-de-down-38751