Curso para Catequistas da Catequese Especial

Curso para Catequistas da Catequese Especial

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

A saudação de Natal do Papa Francisco em língua de sinais

O Papa Francisco surpreendeu as redes sociais ao aparecer em um novo vídeo, desta vez fazendo uma afetuosa saudação de Natal em língua de sinais.
O vídeo foi publicado no último domingo na página do Facebook de Mons. Abuna Yoannis Lahzi Gaid, um sacerdote católico copto originário do Egito, membro da secretaria particular do Pontífice desde 2014.
Este sacerdote é a pessoa que costuma ler as traduções em árabe das catequeses realizadas pelo Papa nas audiências gerais.
Mons. Lahzi explicou ao Grupo ACI que no começo do vídeo o Papa levanta os braços e agita as mãos, o que representa uma saudação afetuosa. Em seguida, diz em língua de sinais “Feliz Natal” e pede que rezem por ele. Depois, dá a sua bênção e se despede.
Esta não é a primeira vez que o Papa faz uma saudação deste tipo. Em maio deste ano, antes de uma audiência geral, o Santo Padre improvisou uma saudação em língua de sinais a dezenas de peregrinos do Conselho Nacional para Surdos, cuja sede fica em Florença.
Naquela ocasião, também levantou os braços e agitou as mãos para expressar o seu carinho.
Em sua viagem apostólica a Filipinas no começo do ano passado, o Cardeal Luis Antonio Tagle, Arcebispo de Manila, ensinou-lhe a dizer “eu te amo” em língua de sinais e o Papa Francisco repetiu o gesto ante um grupo de surdos durante o encontro com as famílias.

Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/video-a-saudacao-de-natal-do-papa-francisco-em-linguagem-de-sinais-36492/

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Dia Internacional dos direitos das Pessoas com Deficiência

Celebrou-se neste sábado, 3 de dezembro, o “Dia Internacional das Pessoas com Deficiência”, proclamado pela ONU em 1992.
Com este ato, a ONU considera que ainda falta muito para se resolver os desafios da sociedade com as pessoas com deficiência.
As entidades mundiais da área esperam que, com este Dia Internacional, todos os países passem a gerar conscientização, compromisso e ações, que transformem as realidades das pessoas com deficiência (PCD) no mundo. O avanço desta iniciativa depende diretamente do envolvimento da comunidade que luta pela causa e devem estabelecer estratégias para manter o tema em evidência.

Objetivo
Neste dia, portanto, buscou-se promover os direitos humanos de todas as pessoas com deficiência em níveis local, nacional, regional e internacional; poderia ser também uma oportunidade para estimular debates sobre o assunto da deficiência em geral e tornar públicos os programas, as políticas e as leis.
Muitos de nós ouvimos, durante anos, que pessoas com deficiência têm pouco valor. Mas, na verdade, seus direitos são importantes, suas habilidades e experiências são de enorme valor para a comunidade, a sociedade, o mundo. Estas pessoas têm direitos, necessidades e habilidades como quaisquer outras pessoas.

Eventos
Os eventos que marcaram o Dia Internacional envolveram as pessoas com deficiência e suas organizações; celebraram as experiências e suas lutas.
Em todo o mundo, estas pessoas estão entre as mais pobres e vivem vidas de desvantagem e privação. Por quê? Tradicionalmente, a deficiência é vista como um “problema” do indivíduo e, por isso, ele deveria se adaptar à sociedade ou ser mudado por profissionais através da reabilitação ou cura.
A Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (LBI - Lei 13.146/15) entrou em vigor em(02/01/16). A nova legislação garante mais direitos às pessoas com deficiência e prevê punições para atos discriminatórios. Dados do Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que 45,6 milhões de pessoas afirmaram ter algum tipo de deficiência, o que representa 23,9% da população brasileira.
Entre os direitos garantidos pela nova lei para atender a essa parcela da população, estão a oferta de profissionais de apoio escolar em instituições privadas, sem custo para as famílias, a acessibilidade para pessoas com deficiência em 10% da frota de táxis e o auxílio-inclusão, benefício de renda complementar ao trabalhador com deficiência que ingressar no mercado de trabalho.

Barreiras
Hoje, as pessoas com deficiência e suas organizações descrevem, a partir de suas experiências, como as barreiras econômicas e sociais têm obstruído a participação plena na sociedade.
Estas barreiras estão espalhadas em todos os espaços das grandes cidades a tal ponto que nos impedem de garantir uma boa qualidade de vida para nós mesmos, por exemplo a acessibilidade para todos.
Esta explicação é conhecida como o modelo social da deficiência, porque focaliza os ambientes e barreiras incapacitantes da sociedade em geral. O modelo social foi formulado por pessoas com deficiência e agora vem sendo aceito também por profissionais da área.  Ele enfatiza os direitos humanos e a equiparação de oportunidades.
Promover esta forma de pensamento sobre a deficiência: eis o objetivo principal deste Dia Internacional das Pessoas com Deficiência! A promoção deve levar às novas politicas públicas, capazes de concretizar o que está no papel de maneira efetiva a fim que os direitos das PCD sejam respeitados.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5178/dia-internacional-dos-direitos-das-pessoas-portadoras-de-deficiencia

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Seminário no Rio celebra o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

A sede da Cúria Metropolitana da Arquidiocese do Rio de Janeiro acolheu na última sexta-feira, dia 2 de dezembro, o 6º Seminário Arquidiocesano da Pessoa com Deficiência (PCD). O encontro contou com a animação musical do Professor Miguel Blacut e a primeira reflexão da tarde de formação e partilha foi sobre o Evangelho de Mateus, capítulo 7, versículo 13: “Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso o caminho que conduzem à perdição e numerosos são os que por aí entram”.
A acolhida e a abertura do seminário foram feitas pelo coordenador arquidiocesano da Pastoral da Pessoa com Deficiência, professor Cesar Bacchim; por uma das coordenadoras da Pastoral do Cego, Débora de Almeida; e por uma das coordenadoras da Fraternidade Cristã de PCD – Movimento Ecumênico, Rosane Gil.
A Lei de Inclusão Brasileira, também conhecida como o Estatuto da PCD, foi o tema do seminário neste ano, que foi apresentado pelos especialistas Geraldo Nogueira, advogado e membro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e da Comissão da PCD; e André David, coaching (palestrante na área profissional e motivador em formação de liderança). Após a exposição do tema, os participantes puderam tirar suas dúvidas e apresentar estudos de casos.
A Celebração da Palavra com Adoração e Comunhão foi presidida na Capela do Edifício João Paulo II pelo diácono José Ferreira, mais conhecido como diácono Bá. Além do Rito Ordinário próprio (Tempo do Advento), durante a celebração os participantes também rezaram pelas vítimas do acidente aéreo que causou a morte de membros da delegação da Associação Chapecoense de Futebol e também profissionais da imprensa brasileira, bem como por seus familiares. A cerimônia também trouxe a memória dos falecidos membros da Pastoral da Pessoa com Deficiência (Pasped), senhores Adilson, Grace, Orquídea e Risomar.
O Ano Mariano também foi ressaltado pelo diácono, que colocou todas as famílias brasileiras sob o manto de Nossa Senhora Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil. A presença de seis cegos também os congregou ainda mais, pois eles não tinham noção do objeto sagrado usado para a exposição do Santíssimo Sacramento: o ostensório. Por isso, o diácono permitiu que eles tocassem e foi feita a descrição audiovisual para eles.
Após a oração final os participantes realizaram a comemoração de Natal com troca de cartões e um delicioso lanche comunitário. Mais informações sobre a Pastoral da Pessoa com Deficiência no site: pasped.org.br.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5179/seminario-no-rio-celebra-o-dia-internacional-da-pessoa-com-deficiencia

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Arquidiocese do Rio lança metas para a Pastoral da Pessoa com Deficiência

A Pastoral da Pessoa com Deficiência (Pasped) da Arquidiocese do Rio de Janeiro - da qual fazem parte as Pastorais dos Surdos e Cegos - reuniu-se, no último sábado, dia 19 de novembro, para um momento de avaliação dos trabalhos realizados ao longo deste ano de 2016. As equipes de coordenação paroquiais e intérpretes lançaram também os desafios para 2017. No próximo ano haverá uma ação concreta para acolher e ir onde o jovem está e, através das mídias sociais, traçar um diálogo que toque o coração e a mente do surdo e do cego jovem.
Durante o dia de encontro, os agentes da pastoral, leigos e religiosas, discutiram estratégias e atitudes para que a ação evangelizadora da Igreja aconteça na Arquidiocese.
Recentemente foi criado o site da Pasped (www.pasped.org.br) que tem como objetivo dar visibilidade ao trabalho eclesial e social desenvolvido há décadas na Igreja. A Arquidiocese do Rio tem uma infraestrutura de apoio e de instrumentos facilitadores para as pastorais que constituem a Pasped. São utilizados recursos de mídia, espaços de serviços com funcionários com deficiência na Mitra e apoio nas diversas iniciativas apresentadas.
“Os desafios são grandes, mas a força, a dedicação e o amor são virtudes de todo cristão voluntário que se propõe a trabalhar com os cegos, surdos, cadeirantes e com as pessoas com deficiência intelectual", declarou o coordenador arquidiocesano da Pastoral da Pessoa com Deficiência, Cesar Bacchim.

Foto: Site Pasped

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5126/arquidiocese-do-rio-lanca-metas-para-a-pastoral-da-pessoa-com-deficiencia

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Pastoral do Surdo realiza encontro na Lagoa

Foi realizado no dia 23 de outubro, na Pequena Cruzada de Santa Teresinha, na Lagoa, o 25º Encontro da Pastoral do Surdo do Regional Leste 1 da CNBB.
Organizado pela Pastoral do Surdo da Paróquia Santa Margarida Maria, da Lagoa, o evento contou com a presença de 132 pessoas, de grupos paroquiais de Copacabana, Tijuca, Méier, Penha, Pavuna, Riachuelo, Campo Grande, Jacarepaguá, Lagoa, além de participantes de Nova Iguaçu, Petrópolis, Macaé e Niterói.
O tema central do encontro – “Eu sou a porta, se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens (Jo 10,9)” – foi exposto por Pedro Melo de Morais, da Pastoral do Surdo de Brasília. Ele lembrou que Jesus convida a passar pela porta estreita, a abrir o coração para as pessoas, aceitando as diferenças com caridade e misericórdia. “A cada dia temos um problema, um desafio a superar e contamos com Jesus nesta caminhada”, disse Pedro.
Uma das coordenadoras dos intérpretes da pastoral, Paula Tostis, mostrou slides com fotos de diversos tipos de portas, convidando os participantes a refletir sobre cada uma delas, comparando-as com a própria vida e a disponibilidade que temos uns para os outros.
A missa, realizada na Paróquia Santa Margarida Maria, foi presidida pelo pároco, cônego Manual Manangão, que também é vigário episcopal do Vicariato da Caridade Social. Ele ressaltou a importância do evento e das pastorais de pessoas com deficiência, que devem ser incluídas cada vez mais nas paróquias e na vida da Igreja.
Na parte da tarde, depois do almoço, os participantes caminharam pela orla da Lagoa Rodrigo de Freitas, assistiram a peça de teatro “Os surdos podem abrir portas?”, e também partilharam experiências.
Segundo o coordenador arquidiocesano da Pastoral da Pessoa com Deficiência, Cesar Bacchim, o encontro foi importante para a reflexão, a partilha e o lazer. “Para muitos, o passeio na Lagoa foi a realização de um sonho”. Ele também informou que o 26º Encontro Regional, em 2017, será realizado na Paróquia São Francisco Xavier, na Tijuca. Mais informações: www.pasped.org.br.

 Fotos: Maria Augusta

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5055/pastoral-do-surdo-realiza-encontro-na-lagoa

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

O bom pastor redentorista

Voltou à Casa do Pai, no dia 22 de outubro, o padre José Marques da Rocha, aos 88 anos. Ele exercia os ofícios de vigário paroquial na Paróquia Santo Afonso, na Tijuca, e de assistente eclesiástico da Pastoral de Catequese Especial.
Falecido por falência múltipla de órgãos, estava internado há 50 dias no Hospital São Francisco de Assis, no Rio de Janeiro. Depois do velório, realizado na Paróquia Santo Afonso, o corpo seguiu para o sepultamento, em Juiz de Fora (MG), no cemitério dos padres redentoristas.

FORMAÇÃO
Mineiro da cidade de Entre Rios de Minas padre José Marques da Rocha, nasceu no dia 21 de março de 1928, filho de Amynthas Hylarito Marques da Rocha e de Alzira da Conceição Marques.
Vocacionado ao sacerdócio, ingressou na Congregação do Santíssimo Redentor (padres redentoristas), onde fez os votos temporários em 2 de fevereiro de 1949, e os votos perpétuos em 12 de abril de 1952.
Depois de cursar filosofia e teologia no Seminário Maior Redentorista, em Juiz de Fora, foi ordenado na mesma cidade, por Dom Rodolfo das Mercês de Oliveira Pena, primeiramente ao diaconato, em 21 de setembro de 1954, e depois presbítero, em 2 de fevereiro de 1955.
Ampliando sua formação, fez o curso de Opinião e Relações Públicas pela PUC-Rio (conclusão 1967), bacharelado em Psicologia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), com pós-graduação em Catequese e especialização em Catequese Especial (conclusão em 1995), e o curso de Espiritualidade Redentorista, em Roma.

RELIGIOSO MISSIONÁRIO
A serviço de sua congregação, depois de ordenado, foi professor e vice-diretor do Seminário Redentorista, em Congonhas do Campo (MG); professor no Seminário Maior da Floresta, em Juiz de Fora; vigário e responsável pela catequese e pela juventude da Paróquia de São José, em Belo Horizonte (MG), e ecônomo na Paróquia Nossa Senhora da Glória, em Juiz de Fora.

RIO DE JANEIRO
À Arquidiocese do Rio de Janeiro chegou em 1964, e aí passou a maior parte de sua vida. Na Paróquia Santo Afonso, na Tijuca, exerceu as funções de coadjutor, ecônomo, reitor, pároco e vigário, além de dirigente espiritual de inúmeros grupos.
Entre outros feitos, foi idealizador da Casa da Convivência Nossa Senhora Mãe do Belo Amor, voltada para melhores condições de vida para os deficientes intelectivos e seus familiares, fundada no bairro Lins de Vasconcelos, em 1994.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5033/o-bom-pastor-redentorista

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Faleceu o Pe. José Marques, fundador da Catequese Especial na Arquidiocese do Rio

            Nossos sentimentos e profunda gratidão por todo o bem que Pe. José Marques realizou com a fundação da Catequese Especial no Rio. Quanto bem feito a milhares de especiais e suas famílias nestes anos de trabalho dedicado e incansável em prol dos queridos de Jesus.
            A missa de 7º dia será nesta sexta feira, 28/10, às 18h, na Paróquia Santo Afonso (Rua Barão de Mesquita, 275 – Tijuca).


segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Pai de menino autista faz post emocionante após filho escrever em dever de casa que não tem amigos

Um pai fez um post emocionado nas redes sociais após ver o dever de casa de seu filho exposto em um mural da escola. Bob Cornelius foi buscar o filho, Christopher, na escola e, ao reparar nos trabalhos expostos, fotografou o do menino, que é autista. A tarefa pedia que as crianças escrevessem sua comida preferida, programa de TV que mais gosta, melhor amigo (a). E Christopher deu uma resposta emocionante.
Na questão "Alguns dos meus amigos são...", o menino escreveu "ninguém". Chocado e triste, Bob compartilhou sua preocupação em um longo post no Facebook.
"Nunca cinco letras fizeram um corte tão profundo. E olha que elas nem sequer foram dirigidos a mim", escreveu. E continuou: "É claro para mim que ele quer, desesperadamente, ser parte do grupo, mas seus desafios tornam difícil para os seus pares incluí-lo", disse.
Na publicação, Bob ainda usa o exemplo do jogador de futebol do Estado da Flórida Travis Rudolph, que almoçou com um estudante autista que estava sozinho. A história viralizou e, hoje, o menino tem amigos na escola. Bob questiona se o menino não teria permanecido sozinho se sua história não se tornasse viral na internet e se o jogador não tivesse dado o primeiro passo. "Onde estavam as outras crianças quando ele almoçava sozinho? Elas estavam ali atrás na foto, ignorando ele. E não é culpa delas. Isso é o pior", disse.
Em um dos trechos mais emocionantes do texto, Bob diz que Christopher pediu por uma festa do pijama para comemorar seu aniversário.
"Ele pediu uma festa do pijama. Dissemos que sim! Ele já tinha visto várias vezes as festas dos irmãos. Mas não pudemos fazer porque não tínhamos os nomes dos amigos dele. Porque ele não tinha amigos. Nunca teve. E ele acaba de fazer 11 anos", escreveu.
Ele, então, pede que o texto seja compartilhado e que os pais conversem com os seus filhos e os ensinem que "as crianças com necessidades especiais entendem muito o que acontece ao seu redor. Eles percebem quando são excluídos. Eles sabem quando são motivo de piada", escreveu. Bob disse ainda que, se conseguisse fazer um pai ou uma mãe conversar com seu filho sobre diferenças, o texto já teria valido.
Felizmente, a história de Christopher tem um final feliz.
Em uma atualização do post, que foi compartilhado mais de 42.500 vezes, Bob diz que Christopher vem recebendo inúmeras cartas e pacotes de presentes. E agradece a todos: "Obrigado pela graça e bondade de vocês! Apreciamos muito!".


Fonte: http://extra.globo.com/noticias/mundo/pai-de-menino-autista-faz-post-emocionante-apos-filho-escrever-em-dever-de-casa-que-nao-tem-amigos-20174533.html

Cristo Redentor terá iluminação especial em homenagem ao Dia do Surdo

O monumento do Cristo Redentor será iluminado em azul entre as 18h e às 19h do dia 26 de setembro, Dia Nacional do Surdo e aniversário de 159 anos do Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES), centro de referência nacional na área da surdez.

A iniciativa da Arquidiocese do Rio, em parceria com o INES, celebra o mês em que são lembradas as lutas e conquistas da comunidade surda com atividades em todo o país, integrando o movimento chamado de “Setembro Azul”.
Além do aniversário do INES e do Dia Nacional do Surdo, ainda comemora-se no mesmo mês o Dia Internacional do surdo (30) e o Dia Internacional das Línguas de Sinais (11). A cor escolhida é uma homenagem às pessoas surdas que morreram na Alemanha durante o nazismo, pois eram identificadas com uma faixa azul amarrada ao braço.
No Brasil, a data de 26 de setembro foi criada pela Lei nº 11.796/2008, a fim de comemorar as conquistas da comunidade surda brasileira, promover a reflexão sobre questões de acessibilidade e de garantia do direito à cidadania, e discutir a construção de políticas públicas voltadas às necessidades e demandas dessa parcela da população.

Fonte: http://www.surdosol.com.br/cristo-redentor-tera-iluminacao-especial-em-homenagem-ao-dia-do-surdo/

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Convite

1 ano de fundação da Pastoral do Cego no dia 15 de outubro, sábado, 17 h . Presidência do Frei Anselmo, OFM. (Sacerdote Cego). Local: Sodalício da Sacra Família, Tijuca.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

D. Orani dá recado aos participantes das Paralimpíadas 2016

O Cardeal e Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, deu um recado aos participantes das Paralimpíadas 2016. A chama paralímpica chegou ao Rio de Janeiro e foi levada até o Cristo Redentor. 


Fonte: http://redevida.com.br/programa/jctv/cardeal-dom-orani-tempesta-da-recado-aos-participantes-das-paralimpiadas-2016.html

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Brasileira disse não ao aborto, ficou paraplégica e hoje brilha na esgrima paralímpica

Nos Jogos Paralímpicos 2016, no Rio de Janeiro, o Brasil será representado na esgrima por uma mulher que há cerca de 14 anos teve que tomar uma decisão que mudaria a sua vida: disse não a um aborto para salvar sua filha, mas, por conta de uma doença, ficou paraplégica. Trata-se da esgrimista Mônica Santos tetracampeã brasileira e bicampeã das Américas.
Aos 18 anos, descobriu que estava grávida do primeiro filho. Mas, à alegria da maternidade seguiu-se outra notícia preocupante. Mônica foi diagnosticada com um angioma medular.
“Tive um angioma medular durante o segundo mês de gestação e os médicos queriam que eu interrompesse a gravidez para poder operar”, contou a atleta em uma entrevista à Gazeta Esportiva.
“Ao invés de interromper para voltar a andar – recordou –, eu optei em ter a nenê e só depois fazer a cirurgia”.
A decisão de Mônica de fazer a cirurgia após o parto poderia acarretar sérios riscos à sua saúde, inclusive de ficar tetraplégica. Mesmo consciente dessa possibilidade, optou pela vida de sua filha, Paola, hoje com 13 anos.
“Eu poderia ter ficado tetraplégica, mas acho que Deus compensou por eu não ter matado a sementinha que tinha em mim e fiquei paraplégica”, disse.
Ao declarar ter se tornado cadeirante “por opção”, Mônica comentou ao site do Globo Esporte que “o fato é que eu queria ter um bebê, ali era uma vida, e eu não queria tirar aquela vida. Acho que era um ser humano desde o momento que estava ali batendo o coraçãozinho”.
Antes mesmo da gravidez e da descoberta da doença, Mônica Santos já praticava esportes. Depois que ficou paraplégica, não deixou sua vida de atleta de lado e buscou esportes que pudesse praticar.
“Quando andava, fazia futebol amador e não conhecia a esgrima”, contou à Gazeta Esportiva. “Após a lesão – continuou –, comecei no basquete e fui apresentada ao jogo de espadas procurando esportes adaptados”.
Na esgrima, logo começou a trilhar seu caminho e, em um ano, foi convocada para a seleção brasileira, firmando-se, em seguida, como principal atleta. Vieram as conquistas nacionais e internacionais e, agora, está focada na Paralimpíada. Ao seu lado sempre esteve presente a sua maior medalha, Paola, o que não será diferente no Rio de Janeiro.
“Vai torcer bastante por mim. Hoje sou mais feliz do que quando eu andava, dou valor para outras coisas”, garantiu a atleta.

Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/brasileira-disse-nao-ao-aborto-ficou-paraplegica-e-hoje-brilha-na-esgrima-paralimpica-20481/

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Papa Francisco envia saudação aos atletas paralímpicos

O cardeal Pietro Parolin, secretário de estado do Vaticano, enviou ao arcebispo cardeal Orani Tempesta telegrama do Papa Francisco, no qual o pontífice “envia uma cordial saudação aos atletas, organizadores, voluntários e participantes, juntamente com uma palavra de incentivo para que as paralimpíadas, que celebram muito mais a vitória sobre as dificuldades impostas pela fragilidade da natureza humana do que a conquista de uma medalha, sejam não somente um instrumento para a prática da virtude em vista do crescimento integral humano mas, acima de tudo, uma ajuda para superar as barreiras do preconceito e da exclusão”. 
A mensagem diz ainda que, “de modo particular, o Papa Francisco anima as comunidades católicas da Arquidiocese do Rio de Janeiro a seguirem com a sua generosa colaboração solidária com este evento que aproxima os povos e pode contribuir com a cultura do encontro para superar os conflitos”.

Fonte: http://radiocatedral.com.br/site/papa-francisco-envia-saudacao-aos-atletas-paralimpicos/

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Papa Francisco abençoa paratletas brasileiros que competirão nos Jogos do Rio

O papa Francisco recebeu nesta quarta-feira uma delegação do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), na Praça de São Pedro, em Roma. Estiveram presentes representando os atletas brasileiros Sergio Froes, do hipismo, e Jovane Guissone, campeão paralímpico na esgrima em cadeira de rodas nos Jogos Paralímpicos de Londres. O vice-presidente do CPB, Ivaldo Brandão, e o diretor de relações institucionais da entidade, Luiz Garcia, também participaram do encontro.
O papa deu a benção aos atletas e desejou sorte nos Jogos Paralímpicos do Rio, que serão disputados entre os dias 7 e 18 de setembro. Ele ganhou de presente um agasalho da equipe brasileira do esgrimista Jovane Guissone. Na audiência geral aos fiéis na Praça de São Pedro, o santo padre também fez uma saudação especial aos atletas e aos membros dos CPB, do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês) e do Comitê Paralímpico Italiano que se preparam para o Rio-2016.
"Na hora em que eu vi que o Papa estava vindo na nossa direção, eu nem acreditei. Foi algo inesquecível, um momento muito especial. Ele me abençoou, abençoou meus pertences e nos desejou sorte e muita energia positiva nos Jogos Paralímpicos. Ele também nos pediu que rezássemos pelas vítimas do terremoto na Itália", disse Jovane Guissone, se referindo ao grande tremor que causou estragos e provocou vários mortes nesta quarta-feira em solo italiano.
Para Sergio Froes, o encontro dará ainda mais motivação na reta final de preparação para a competição no Rio. "Eu volto daqui para a França, onde estamos fazendo a preparação do hipismo, ainda mais motivado e com mais satisfação para chegar aos Jogos no Rio. Foi uma honra encontrar o Papa", afirmou Sergio.

Fonte: http://esporte.ig.com.br/olimpiadas/2016-08-24/papa-paralimpiadas-bencao-rio-2016.html

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Papa entre as crianças doentes: a ternura faz crescer a humanidade

O Papa Francisco visitou, na tarde desta sexta-feira, 29 de julho, o Hospital Pediátrico Universitário (UCH) de Prokocim, em Cracóvia.
É o maior hospital pediátrico do sul da Polônia que a cada ano cura cerca de 200 mil crianças. A sua construção iniciou sob os auspícios da diáspora polonesa nos Estados Unidos, e mais tarde o seu funcionamento contou com a ajuda financeira do governo estadunidense. Está na vanguarda nas operações de separação de gêmeos siameses, nos tratamentos de queimaduras e problemas cardíacos em crianças. 
Este hospital foi visitado, em 13 de agosto de 1991, por São João Paulo II. Na capela do edifício estão conservadas algumas relíquias do santo, há adoração perpétua do Santíssimo Sacramento, e se celebra a missa cotidiana para as crianças, seus país, os funcionários do hospital e os estudantes de medicina. O cuidado pastoral e a capelania estão aos cuidados dos Padres Dehonianos. 
O Papa Francisco foi acolhido pela primeira-ministra polonesa, Beata Szydło, e por cinquenta crianças doentes com os seus pais. O Santo Padre saudou um por um, e os acariciou. Recebeu como presente alguns desenhos e depois foi visitar outras crianças nas repartições de emergência. 
Segue, na íntegra, a saudação do Papa Francisco em sua visita ao Hospital Pediátrico de Prokocim.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Ação inclusiva da Pastoral dos Surdos

Já faz 20 anos que a Pastoral dos Surdos funciona na Basílica do Imaculado Coração de Maria, no Méier, respeitando a identidade e a cultura das pessoas com deficiências auditivas e valorizando a vida e todas as suas potencialidades. Atualmente, o grupo é frequentado por 34 pessoas surdas.
Confiada aos padres claretianos, a paróquia é uma das sete na cidade do Rio de Janeiro que conta com a presença de intérpretes de Libras, (Língua Brasileira de Sinais), utilizada como instrumento e mediação do diálogo com os outros e com Deus.
Além de possibilitar aos surdos um espaço dentro da comunidade paroquial para o testemunho de vida cristã e o engajamento nos diversos serviços e ministérios, o trabalho pastoral busca eliminar o preconceito, o individualismo e a discriminação, presente ainda hoje nas famílias, nas escolas e no mundo do trabalho.
Margareth Maria Lessa Gonçalves, intérprete da paróquia, contou que a Pastoral dos Surdos nasceu a partir da vontade de um grupo de surdos de participar da paróquia. “Um grupo de surdos veio à paróquia perguntar se haveria alguém disposto a aprender e ensinar a língua de sinais para que eles pudessem participar das celebrações da Basílica do Imaculado Coração de Maria. O pároco, na época, concordou e o trabalho foi iniciado”.
A pastoral busca integrar o surdo com a Igreja, permitindo o contato com a fé  católica, na vivência de espiritualidade de proximidade e misericórdia. São ações que visam uma vida em comunidade, sem preconceito, exclusão e individualismo. A tarefa principal da pastoral é a promoção humana através do anúncio de Jesus Cristo.

Segundo a intérprete, conforme o tempo passa, os surdos vão entendendo as celebrações e passam interagir de forma prática. Isto é também um dos objetivos do trabalho realizado na paróquia. “Procuramos formar pessoas capazes de catequizar e dirigir celebrações, superando as dependências de cada um”, afirmou.
A paróquia também dispõe de uma oficina para pessoas que queiram aprender o universo da Língua Brasileira de Sinais. “É um espaço aberto para moradores do bairro que querem aprender um pouco desta cultura e ajudar no trabalho”, explicou Margareth, que percebe esta ação como uma forma de multiplicar a questão da acessibilidade.
Margareth enxerga na existência da pastoral a importância da prática da fraternidade, da igualdade e da vivência do amor de Deus. “Somos todos filhos de Deus, e nas pastorais vemos isso. Filhos de um Deus que ama a todos de forma igual. É essa acessibilidade, de que todos os filhos de Deus possam vir à casa do Pai”, concluiu.
Referência em trabalho social, a comunidade da Basílica do Imaculado Coração de Maria participou da Peregrinação da Pastoral da Pessoa com Deficiência (Pasped) à Porta Santa na Catedral de São Sebastião, no dia 11 de junho, e na semana seguinte foi para Londrina participar do Encontro das Obras Sociais dos Claretianos no Brasil, junto com o pároco Júlio Cesar Melo Miranda.

Fonte: Jornal Testemunho de Fé, página 8

domingo, 17 de julho de 2016

Festas Julinas

Festas Julinas dos Vicariatos Suburbano, Jacarepaguá e Leopoldina na Paróquia Cristo Rei em Vaz Lobo. E Vicariato Santa Cruz na Paróquia de Sant'Ana em Campo Grande. 

terça-feira, 12 de julho de 2016

Deficientes e Paralimpíadas

D. Orani João Tempesta
Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro

De 7 a 28 de setembro próximo teremos a oportunidade de assistir aqui no Brasil os Jogos Paralímpicos. Acredito que será uma ótima oportunidade de trabalhar a importância da dignidade da pessoa deficiente e que supera seus limites e nos dá exemplos de combate e transformação. Será educativo para as famílias levarem seus filhos para assistir a esses jogos que, tenho certeza, mudarão muitos conceitos no coração e na mente de nosso povo.
Na Igreja tivemos também o Jubileu das Pessoas Deficientes. E, em geral, em todas as audiências, celebrações e visita do Papa ele sempre encontra as pessoas deficientes, demonstrando assim a consideração da Igreja pela inclusão desses nossos irmãos e irmãs.
Este Jubileu aconteceu em Roma entre 6 a 12 de junho e esses dias foram marcados com alguns eventos. O Vaticano fez deste Jubileu de Pessoas Deficientes o ponto forte da metade do Ano da Misericórdia, que o Papa Francisco iniciou em dezembro, lembrando a importância do respeito a todos e, em especial, também pelos doentes no ensino da fé cristã e no compromisso da Igreja.
No domingo, 12 de junho, na Missa na Praça de São Pedro, o Papa afirmou o valor de “amar apesar de tudo”. O Santo Padre sublinhou o fato de tantas pessoas com deficiência e enfermas se reabrirem à vida logo que descobrem que são amadas.  
Segundo o Santo Padre, muitas vezes a atitude humana é a de confiar apenas nas descobertas da ciência, considerando que no pensar de muitos seria “impossível ser feliz uma pessoa enferma ou deficiente, porque incapaz de realizar o estilo de vida imposto pela cultura do prazer e da diversão”. No entanto – realçou o Papa – “é grande a ilusão em que vive o homem de hoje, quando fecha os olhos à enfermidade e à deficiência! Não compreende o verdadeiro sentido da vida, que inclui também a aceitação do sofrimento e da limitação” – disse o Papa, salientando que “o mundo não se torna melhor quando se compõe apenas de pessoas que se acham aparentemente “perfeitas”, mas quando crescem a solidariedade, a mútua aceitação e o respeito entre os seres humanos”.
O Papa Francisco se referiu ainda na sua homilia da missa a leitura do Evangelho que nos fala da mulher pecadora e marginalizada, que Jesus acolhe e defende “porque muito amou”. Jesus está atento às lágrimas e ao sofrimento daquela mulher: “a sua ternura é sinal do amor que Deus reserva àqueles que sofrem e são excluídos”. “Amar apesar de tudo” – sublinhou o Papa.
Portanto, devemos, é claro, olhar para cada pessoa com deficiência com o olhar do Cristo que acolhe e trata bem a todos, com o olhar e o sentimento de compaixão e do serviço. Por isso, digo: o que pudermos fazer por estes nossos irmãos façamos com alegria e com toda a boa vontade do mundo.

terça-feira, 14 de junho de 2016

Pastoral da Pessoa com Deficiência realiza Peregrinação

Catedral de São Sebastião recebe Portadores de Deficiência da Arquidiocese do Rio numa linda Peregrinação no dia 11/06.

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Peregrinação da Pastoral da Pessoa com Deficiência

A Catedral de São Sebastião, no Centro do Rio, tem recebido durante este ano Jubilar peregrinos que buscam fazer uma experiência de fé, além de receber as indulgências devido ao Ano da Misericórdia. Entre as várias peregrinações está a da Pastoral da Pessoa com Deficiência, que será no dia 11 de junho, às 9h, com transmissão para todo o Brasil pela RedeVida de Televisão, Rádio Catedral e WebTV Redentor. A celebração, que será presidida pelo Cardeal Orani João Tempesta, contará com a presença de pessoas que possuem os quatro tipos de deficiência: visual, auditiva, física e mental.
De acordo com o coordenador arquidiocesano da Pastoral da Pessoa com Deficiência, César Bacchim, esse será um momento de oração, espiritualidade e de integração. Ele também acrescentou que a Porta Santa lembra que as pessoas com deficiência, assim como qualquer cristão, também são necessitadas da misericórdia de Deus.
“Por vezes, o conceito de pessoas com deficiência é o de que eles não precisam de misericórdia e nem necessitam ser misericordiosos com os outros. Pelo contrário, a pessoa com deficiência também precisa de conversão, da confissão e da graça de Deus”, disse.
“A Porta Santa vem nos ensinar que a pessoa com deficiência também faz parte da caminhada da Igreja. Deve estar sempre incluída e não excluída. Será uma linda experiência, por isso convidamos o povo de Deus e os agentes pastorais, inseridos ou não nas pastorais e movimentos da Igreja, para que também, possam participar conosco”, destacou o coordenador.

Fonte: Jornal Testemunho de Fé, página 5

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Hino da JMJ Cracóvia 2016 na linguagem de sinais

Os organizadores da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Cracóvia 2016 lançaram a versão em linguagem de sinais do hino oficial deste evento, o qual acontecerá nesta cidade da Polônia entre os dias 25 e 31 de julho com a participação do Papa Francisco.
A pastoral para surdos em Breslavia, com a colaboração da Fundação Fonis, foram os encarregados de realizar o projeto no qual participaram mais de 40 pessoas, entre eles o Arcebispo de Breslavia, Dom Józef Kupny.
No vídeo também se pode observar algumas religiosas realizando diversas obras de misericórdia.
O hino oficial da JMJ intitulado “Bem-aventurados os misericordiosos”, foi composto pelo advogado Jakub Blycharz, compositor da música e criador da letra.
A tradução e adaptação do polonês para o português ficou sob a responsabilidade dos padres Zezinho e Joãozinho e do jovem Jonas Rodrigues, da Diocese de Mogi das Cruzes (SP).

1. Levantarei meu olhar aos montes
De onde o auxílio virá
Deus é a força de quem tem fé
Misericórdia Ele é

2. Quando erramos Ele é por nós
Mostra-nos o colo do Pai
Com seu sangue libertador
Livra do mal e da dor

BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS
PORQUE ELES ALCANÇARÃO MISERICÓRDIA (2x)

3. Sem seu perdão quando eu cair
Quem poderá me levantar?
Se Deus perdoa quem somos nós
Para não perdoar?

4. O sangue de Cristo nos resgatou
Ele ressuscitou
Grite pro mundo inteiro ouvir
Jesus Cristo é o Senhor!

5. Deixa o teu medo e tem fé
Um novo tempo virá
Cristo está vivo: vivo entre nós!
E um dia ele voltará!

BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS
PORQUE ELES ALCANÇARÃO MISERICÓRDIA (4x)





Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/video-hino-da-jmj-cracovia-2016-na-linguagem-de-sinais-99754/

terça-feira, 12 de abril de 2016

Catequese Especial em Teresópolis

             Aconteceu na Casa de Retiro Gato Cinzento, em Teresópolis, o Encontro de Catequistas da Catequese Especial.
            Estiveram presentes 53 catequistas de Petrópolis, Magé, Pedro do Rio, Piabetá, Parada Modelo, Petrópolis, Teresópolis, Mauá e outros municípios.


sexta-feira, 1 de abril de 2016

Dia Mundial da Conscientização do Autismo

Nesse domingo, 3 de abril, a Paróquia São José da Lagoa vai receber, na praça ao lado da igreja, o evento pelo Dia Mundial da Conscientização do Autismo. A partir das 9h, crianças, adolescentes e adultos autistas e as famílias terão uma manhã de inclusão, com recreação e informações sobre os serviços da Comissão de Direitos dos Autistas e Familiares (CDAF) da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional do Rio de Janeiro (OAB-RJ).
A ação, criada em 2008 pela Organização das Nações Unidas (ONU), chama a atenção para a importância de conhecer e tratar o transtorno que atinge mais de 2 milhões de brasileiros, segundo dados da própria organização.
As atividades estão incluídas no fim de semana de celebrações, que começa com a iluminação em azul do Cristo Redentor, nessa sexta-feira, 1º de abril, às 18h. De acordo com a comissão, o azul foi definido como a cor do autismo porque é mais comum em meninos.
No dia 2, às 9h, será realizada uma cerimônia no Santuário Cristo Redentor, em que Padre Omar Raposo dará uma bênção a todos os que estiverem presentes.

CCBB
No Centro Cultural Banco do Brasil, de 02/04 a 10/04, acontecerá a 4º edição da Semana de Conscientização do Autismo - Não Somos Um. 
Programação diversa e gratuita, com objetivo de apresentar as multiplicidades do espectro do transtorno do autismo.

No topo da página, está a divulgação dos eventos. Participe!