Curso para Catequistas da Catequese Especial

Curso para Catequistas da Catequese Especial

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

A saudação de Natal do Papa Francisco em língua de sinais

O Papa Francisco surpreendeu as redes sociais ao aparecer em um novo vídeo, desta vez fazendo uma afetuosa saudação de Natal em língua de sinais.
O vídeo foi publicado no último domingo na página do Facebook de Mons. Abuna Yoannis Lahzi Gaid, um sacerdote católico copto originário do Egito, membro da secretaria particular do Pontífice desde 2014.
Este sacerdote é a pessoa que costuma ler as traduções em árabe das catequeses realizadas pelo Papa nas audiências gerais.
Mons. Lahzi explicou ao Grupo ACI que no começo do vídeo o Papa levanta os braços e agita as mãos, o que representa uma saudação afetuosa. Em seguida, diz em língua de sinais “Feliz Natal” e pede que rezem por ele. Depois, dá a sua bênção e se despede.
Esta não é a primeira vez que o Papa faz uma saudação deste tipo. Em maio deste ano, antes de uma audiência geral, o Santo Padre improvisou uma saudação em língua de sinais a dezenas de peregrinos do Conselho Nacional para Surdos, cuja sede fica em Florença.
Naquela ocasião, também levantou os braços e agitou as mãos para expressar o seu carinho.
Em sua viagem apostólica a Filipinas no começo do ano passado, o Cardeal Luis Antonio Tagle, Arcebispo de Manila, ensinou-lhe a dizer “eu te amo” em língua de sinais e o Papa Francisco repetiu o gesto ante um grupo de surdos durante o encontro com as famílias.

Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/video-a-saudacao-de-natal-do-papa-francisco-em-linguagem-de-sinais-36492/

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Dia Internacional dos direitos das Pessoas com Deficiência

Celebrou-se neste sábado, 3 de dezembro, o “Dia Internacional das Pessoas com Deficiência”, proclamado pela ONU em 1992.
Com este ato, a ONU considera que ainda falta muito para se resolver os desafios da sociedade com as pessoas com deficiência.
As entidades mundiais da área esperam que, com este Dia Internacional, todos os países passem a gerar conscientização, compromisso e ações, que transformem as realidades das pessoas com deficiência (PCD) no mundo. O avanço desta iniciativa depende diretamente do envolvimento da comunidade que luta pela causa e devem estabelecer estratégias para manter o tema em evidência.

Objetivo
Neste dia, portanto, buscou-se promover os direitos humanos de todas as pessoas com deficiência em níveis local, nacional, regional e internacional; poderia ser também uma oportunidade para estimular debates sobre o assunto da deficiência em geral e tornar públicos os programas, as políticas e as leis.
Muitos de nós ouvimos, durante anos, que pessoas com deficiência têm pouco valor. Mas, na verdade, seus direitos são importantes, suas habilidades e experiências são de enorme valor para a comunidade, a sociedade, o mundo. Estas pessoas têm direitos, necessidades e habilidades como quaisquer outras pessoas.

Eventos
Os eventos que marcaram o Dia Internacional envolveram as pessoas com deficiência e suas organizações; celebraram as experiências e suas lutas.
Em todo o mundo, estas pessoas estão entre as mais pobres e vivem vidas de desvantagem e privação. Por quê? Tradicionalmente, a deficiência é vista como um “problema” do indivíduo e, por isso, ele deveria se adaptar à sociedade ou ser mudado por profissionais através da reabilitação ou cura.
A Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (LBI - Lei 13.146/15) entrou em vigor em(02/01/16). A nova legislação garante mais direitos às pessoas com deficiência e prevê punições para atos discriminatórios. Dados do Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que 45,6 milhões de pessoas afirmaram ter algum tipo de deficiência, o que representa 23,9% da população brasileira.
Entre os direitos garantidos pela nova lei para atender a essa parcela da população, estão a oferta de profissionais de apoio escolar em instituições privadas, sem custo para as famílias, a acessibilidade para pessoas com deficiência em 10% da frota de táxis e o auxílio-inclusão, benefício de renda complementar ao trabalhador com deficiência que ingressar no mercado de trabalho.

Barreiras
Hoje, as pessoas com deficiência e suas organizações descrevem, a partir de suas experiências, como as barreiras econômicas e sociais têm obstruído a participação plena na sociedade.
Estas barreiras estão espalhadas em todos os espaços das grandes cidades a tal ponto que nos impedem de garantir uma boa qualidade de vida para nós mesmos, por exemplo a acessibilidade para todos.
Esta explicação é conhecida como o modelo social da deficiência, porque focaliza os ambientes e barreiras incapacitantes da sociedade em geral. O modelo social foi formulado por pessoas com deficiência e agora vem sendo aceito também por profissionais da área.  Ele enfatiza os direitos humanos e a equiparação de oportunidades.
Promover esta forma de pensamento sobre a deficiência: eis o objetivo principal deste Dia Internacional das Pessoas com Deficiência! A promoção deve levar às novas politicas públicas, capazes de concretizar o que está no papel de maneira efetiva a fim que os direitos das PCD sejam respeitados.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5178/dia-internacional-dos-direitos-das-pessoas-portadoras-de-deficiencia

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Seminário no Rio celebra o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

A sede da Cúria Metropolitana da Arquidiocese do Rio de Janeiro acolheu na última sexta-feira, dia 2 de dezembro, o 6º Seminário Arquidiocesano da Pessoa com Deficiência (PCD). O encontro contou com a animação musical do Professor Miguel Blacut e a primeira reflexão da tarde de formação e partilha foi sobre o Evangelho de Mateus, capítulo 7, versículo 13: “Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso o caminho que conduzem à perdição e numerosos são os que por aí entram”.
A acolhida e a abertura do seminário foram feitas pelo coordenador arquidiocesano da Pastoral da Pessoa com Deficiência, professor Cesar Bacchim; por uma das coordenadoras da Pastoral do Cego, Débora de Almeida; e por uma das coordenadoras da Fraternidade Cristã de PCD – Movimento Ecumênico, Rosane Gil.
A Lei de Inclusão Brasileira, também conhecida como o Estatuto da PCD, foi o tema do seminário neste ano, que foi apresentado pelos especialistas Geraldo Nogueira, advogado e membro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e da Comissão da PCD; e André David, coaching (palestrante na área profissional e motivador em formação de liderança). Após a exposição do tema, os participantes puderam tirar suas dúvidas e apresentar estudos de casos.
A Celebração da Palavra com Adoração e Comunhão foi presidida na Capela do Edifício João Paulo II pelo diácono José Ferreira, mais conhecido como diácono Bá. Além do Rito Ordinário próprio (Tempo do Advento), durante a celebração os participantes também rezaram pelas vítimas do acidente aéreo que causou a morte de membros da delegação da Associação Chapecoense de Futebol e também profissionais da imprensa brasileira, bem como por seus familiares. A cerimônia também trouxe a memória dos falecidos membros da Pastoral da Pessoa com Deficiência (Pasped), senhores Adilson, Grace, Orquídea e Risomar.
O Ano Mariano também foi ressaltado pelo diácono, que colocou todas as famílias brasileiras sob o manto de Nossa Senhora Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil. A presença de seis cegos também os congregou ainda mais, pois eles não tinham noção do objeto sagrado usado para a exposição do Santíssimo Sacramento: o ostensório. Por isso, o diácono permitiu que eles tocassem e foi feita a descrição audiovisual para eles.
Após a oração final os participantes realizaram a comemoração de Natal com troca de cartões e um delicioso lanche comunitário. Mais informações sobre a Pastoral da Pessoa com Deficiência no site: pasped.org.br.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5179/seminario-no-rio-celebra-o-dia-internacional-da-pessoa-com-deficiencia